Saque e Pague lança Mini ATM que apoia varejo na geração de receitas

88
Givanildo Luz, CEO da Saque e Pague

Além de reduzir custos, nova solução oferece à população serviços financeiros de maneira simplificada

A Saque e Pague está lançando uma solução para apoiar a transformação do mercado varejista, o Mini ATM. A novidade permitirá às pessoas realizarem saques em dinheiro e terem acesso a outros tipos de serviços financeiros, como microcrédito e abertura de contas. É a mesma garantia de segurança dos terminais de autoatendimento tradicionais da empresa, de forma simplificada para o dia a dia da população.

Para varejistas, o diferencial é a possibilidade de geração de receita por meio do novo serviço. Givanildo Luz, CEO da Saque e Pague, explica que diferentemente do que é praticado atualmente no mercado, que cobra dos varejistas, o objetivo é remunerá-los por utilizarem o Mini ATM.

“Cada transação realizada por meio desse canal será remunerada. Sabemos que é uma dor do varejo encontrar novas maneiras de gerar receita e assim conseguimos contribuir de maneira descomplicada para resolver esse problema”, frisa.

A iniciativa também representa redução de custos, atratividade para novos clientes e incremento de eficiência operacional. O CEO lembra que os brasileiros possuem restrições de acesso para uso de serviços financeiros e a pandemia evidenciou a dificuldade.

Segundo dados do Banco Central 427 cidades brasileiras não possuem nenhuma agência bancária e o número chega a mais de 2.000 cidades sem atendimento, se não considerados os PABs (Pontos de Autoatendimento Bancários) e PAEs (Pontos de Atendimento Eletrônicos). “A solução do Mini ATM passa a ser uma alternativa diferenciada e viável de acesso à população aos serviços financeiros”, complementa Luz.

A gestão do numerário normalmente é dispendiosa para os varejistas: há custo e risco com o transporte de valores. A tecnologia da Saque e Pague, disponível nos ATMs e agora nos Mini ATMs, permite a sangria de caixa de forma prática e segura. Ela pode ser feita diretamente pelo varejista quando um cliente deseja fazer um saque.

O estabelecimento comercial disponibiliza o canal e entrega o dinheiro do seu próprio caixa, e assim realiza a sangria. O varejo realiza a transação e os valores são destinados automaticamente à conta do estabelecimento. A Saque e Pague passa, então, a ser responsável por aquela transação.

Valores pré-estabelecidos

A população poderá realizar saques de valores que são pré-estabelecidos: R﹩ 20, R﹩ 50, R﹩ 70, R﹩ 100, R﹩ 120, R﹩ 150, R﹩ 180 e R﹩ 200 (limite). A empresa prevê que em 2021 poderá disponibilizar mais serviços por meio do Mini ATM, como contratação de seguros, microcrédito, entre outros.

A operacionalização do modelo de negócios e gestão do numerário é realizada 100% pela Saque e Pague e não há custos adicionais. “Sabemos da importância de trabalhar ao lado das instituições e somos flexíveis ao atendê-las de acordo com as necessidades do mercado. Nosso objetivo é fortalecer o segmento e crescer junto com ele. Garantimos que o novo produto esteja alinhado com os bancos, cooperativas, fintechs e operadoras conectados à nossa plataforma para garantir uma experiência justa e sem frustrações para os usuários e varejistas. O Mini ATM da Saque e Pague agrega valor de forma ampla para todo o ecossistema e isso não está no apenas no discurso: trata-se de uma solução disponível ao mercado”, conclui Givanildo.