Pesquisa mostra que 57% dos trabalhadores possuem alguma pendência com o Serasa

51

Levantamento do Grupo H identificou que homens contam com maior representatividade no endividamento

Um levantamento inédito do Grupo H, fintech brasileira especialista em crédito para funcionários de empresas privadas, identificou que 57% dos trabalhadores de São Paulo possuem alguma pendência com o Serasa. O estudo que analisou mais de 16.332 perfis também identificou que o valor médio financiado por esses colaboradores é de R$ 5.069,79.

Entre os colaboradores homens analisados, 57,10% possuem alguma pendência. Já as mulheres aparecem um pouco atrás com 56,55% de endividamento. A diferença salarial entre gêneros, em São Paulo, também foi identificada no estudo. As mulheres possuem uma remuneração, em média, 20,8% menor que os homens, com um valor médio de R$ 1.609,67 ante R$ 1.946.

Para o CEO do Grupo H, Fernando Ferraz, os dados demonstram que é necessário refletir sobre a forma em que as pessoas se relacionam com o dinheiro e o estudo sobre o endividamento precisa ser ampliado. “Diversas frentes de análise visam entender as dívidas de quem não possui uma renda regular, entretanto, estudar esse cenário em quem possui um trabalho é importante, pois demonstra que a educação financeira precisa ser reforçada”.

A maior parte dos trabalhadores de São Paulo (70%) busca o empréstimo consignado com o tempo de trabalho entre 1 e 5 anos. Os casados buscam valores de crédito mais elevado (R$5.483,31), seguido dos divorciados (R$5.074,45) e solteiros (R$4.750,68).

Crédito consciente é caminho para o fim do endividamento

A busca pela utilização do crédito consciente é um dos principais objetivos do Grupo H, tendo como um de seus pilares a orientação especializada aos trabalhadores para que busquem uma vida financeira equilibrada. Nos últimos 15 anos, a empresa ajudou mais de 250 mil pessoas a encerrarem pendencias financeiras, limpando seu nome e ampliando as opções de crédito, desta forma, aumentando a saúde de suas finanças.

Muitos consumidores não levam em conta, na hora de recorrer a um empréstimo, os cuidados necessários, principalmente quando o assunto é crédito online. Com a ampliação da tecnologia na rotina dos trabalhadores, aumentou também o número de potenciais golpes, como cobrança de depósito de adiantamento, contratos enganosos e até programação de pagamento falsa.

Diante disso, é muito importante que antes de fechar qualquer contrato, o cliente pesquise e peça indicações de empresas confiáveis, seja para amigos ou parentes, assim como o próprio RH da empresa em qual trabalha. “A oferta de taxas e condições especiais é um atrativo, entretanto, pode causar um efeito dominó, ampliando a dívida”, alerta Fernando Ferraz, CEO do Grupo H.