InvestFarma adquire a FarmaDelivery em aposta no e-commerce

96

A FarmaDelivery representa um salto importante nos negócios da companhia, que terá aumento imediato de 30% no faturamento com o fechamento da aquisição

A InvestFarma, companhia lançada pela Stratus em 2018 para consolidação de redes de drogarias, acaba de formalizar a compra da FarmaDelivery, uma das principais empresas independentes de e-commerce de medicamentos e cuidados pessoais do Brasil. A transação foi submetida ao CADE nos últimos dias e está em processo de revisão.

A aquisição permitirá que a InvestFarma passe a contar com quatro canais convergentes para viabilizar e facilitar a jornada do consumidor, conforme afirmou Marcelo Vienna, CEO da companhia. “A aquisição complementa nossa operação multicanal, a partir das 100 lojas físicas atuais (com as adquiridas Poupafarma, Drogaria Marcelo e Drogaria Estação), do sistema televendas & delivery, convênios & parcerias, e agora também o e-commerce”.

 

A FarmaDelivery representa um salto importante nos negócios da companhia, que terá aumento imediato de 30% no faturamento com o fechamento da aquisição. Atualmente, a empresa fatura R$ 500 milhões por ano, principalmente através de sua principal bandeira, a rede Poupafarma. Com a combinação dos canais, esse impacto pode chegar a 50% em 2021.

Um dos sócios da FarmaDelivery, Rodrigo Cesar dos Santos, seguirá na empresa como diretor de operações digitais desta unidade. “O sucesso da Farma Delivery como operação independente nos levou a um dos principais postos entre as farmácias online do país. Com a integração a uma estrutura completa como a da InvestFarma/Poupafarma, poderemos atingir muito mais e implantar vários projetos que desenvolvemos ao longo dos anos”, afirmou o empresário e agora executivo do Grupo InvestFarma.

O negócio tem importância ainda maior para o Grupo InvestFarma, considerando o crescimento de vendas de medicamentos do e-commerce, que saltou no Brasil de 1% para 7% do volume total, de acordo com IQVIA Brasil, em consequência de mudanças de hábito do consumidor com a pandemia do coronavírus.

 

“Em tempos de disseminação do Covid-19, as pessoas passaram a comprar mais itens em farmácias, fazendo o ticket médio subir 20%, mas foram menos às lojas, comprando mais pela internet e telefone”, adicionou Marcelo Vienna.

A empresa continuará seu processo de ampliação em todos os canais e de desenvolvimento de uma plataforma de operações com diversos formatos e um conceito integrado novo, de atendimento intensivo ajudando os clientes a poupar tempo e dinheiro. “Nosso objetivo é ser a principal referência de operação do modelo “economy” no varejo de medicamentos e cuidados pessoais brasileiro, com foco prioritário no atendimento máximo ao cliente, com agilidade, mix abrangente e preços competitivos, completou Vienna”.