terça-feira, 14 de julho de 2020 - 7:33
Início Finanças Finanças Instituições bancárias adotam medidas para beneficiar clientes na pandemia

Instituições bancárias adotam medidas para beneficiar clientes na pandemia

Bancos como Itaú Unibanco, Bradesco, Caixa e Santander estão alongando dívidas e concedendo empréstimos para micro e pequenas empresas

Maria Lúcia D’Urso

Manter a operação funcionando e, ao mesmo tempo, ajudar clientes e colaboradores a enfrentar a pandemia são atualmente os principais desafios dos bancos brasileiros. Para atravessar esse momento tão delicado do País as instituições financeiras tomaram uma série de medidas, reforçando seu papel social num momento de crise.  Esse assunto foi debatido no painel O Papel Social dos Bancos, realizado dia 25/6, no Ciab virtual.

Além de instituir o trabalho home office para 50 mil colaboradores, o Itaú Unibanco colocou equipamentos de proteção nas agências para dar segurança a clientes e colaboradores e implementou ações para beneficiar seus clientes, tanto pessoas físicas quanto pessoas jurídicas. “Conseguimos alongar 12 bilhões de dívidas de nossos correntistas e conceder 4,5 milhões de novos empréstimos. Dessa forma, estamos apoiando nossos clientes a ganharem fôlego nesse processo de travessia”, assinala Claudia Politanski, vice-presidente do Itaú Unibanco.

Para amparar as pequenas e médias empresas, a companhia de adquirência do banco, a Rede, firmou uma parceria com o iFood. “Desde março, estamos antecipando recebíveis de bares e restaurantes que atuam nesse site de alimentação”, destaca a executiva. O banco está contribuindo também com doações para ajudar o governo a combater a pandemia. “As ações que estão sendo tomadas para enfrentar a pandemia visam também proteger o banco. “Não queremos associar crise humanitária com crise bancária”, enfatiza a executiva.

O Bradesco também está  tomando uma série de medidas para enfrentar a pandemia. “Tivemos que ser ágeis para manter nossa operação funcionando, mesmo tendo um contingente de 40 mil colaboradores em home office”, afirma André Rodrigues Cano, vice-presidente executivo do Bradesco. Ele ressalta que os bancos brasileiros trabalham em conjunto para prover soluções que mantenham as operações com os clientes nessa época e os beneficie.

Como o Itaú, o Bradesco também prorrogou parcelas de empréstimos para pessoas físicas e jurídicas e disponibilizou crédito. “Concedemos 118 bilhões em novos empréstimos e prorrogamos R$ 59 bilhões de dívidas. Além disso, criamos uma modalidade nova de empréstimo, destinada a pessoas jurídicas, para financiamento de folha de pagamento”, declara o vice-presidente executivo do Bradesco.

Entre as ações da Caixa para beneficiar seus clientes pessoas físicas em tempos de Covid-19 estão colocar seis agências-caminhão e duas agências-barco, circulando em localidades onde não existem bancos.

O banco adotou medidas também para auxiliar as micros e pequenas empresas. “Concedemos R$ 8 bilhões em crédito para pequenas companhias e ingressamos no Pronampe, programa do governo criado para incentivar o crédito a micro e pequenas empresas”, argumenta Paulo Henrique Angelo Souza, vice-presidente de Rede de Varejo da Caixa. Segundo balanço do governo, o banco público fechou 1.558 operações até agora, movimentando R$ 72,6 milhões.

Outra providência tomada pelo banco público nesse período de pandemia foi ampliar o limite de recebimento de boletos de suas 13 mil lotéricas para R$ 3 mil. “As lotéricas são fundamentais para a economia do País”, frisa Angelo Souza. Soma-se a essa ação os trabalhos da Caixa para o recebimento do Auxílio Emergencial, que beneficiou 64 milhões de brasileiros com a poupança digital da Caixa.

O Santander também está se prontificando a auxiliar seus clientes pessoas físicas e jurídicas. “Buscamos oferecer aos nossos correntistas uma série de serviços e facilidades que pudessem diminuir o impacto da crise. Aumentamos o limite dos cartões de crédito em 10% e aderimos aos programas governamentais de financiamento da folha de pagamento das empresas”, assinala Patrícia Audi, vice-presidente executiva de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander Brasil .

Projetos filantrópicos

A filantropia está na pauta dos bancos para enfrentar a pandemia. O Itaú, por exemplo, doou R$ 1 bilhão em respiradores, kits de higiene e equipamentos médicos. “Estamos comprometidos também com o povo brasileiro e vamos fazer tudo que podemos para o País sair da crise”, enfatiza Claudia Politanski, vice-presidente do Itaú Unibanco. Já o Santander doou R$ 5 milhões de kits de higiene e 15 milhões de máscaras para as secretarias de saúde e comunidades carentes.

- Publicidade -

Últimas Notícias

Banrisul começa a operar linhas de crédito do Pronampe

Recursos são destinados a microempreendedores individuais e a micro e pequenas empresas O Banrisul, a partir desta segunda-feira, dia 13, torna disponível aos seus clientes...

Allianz Seguros adquire operações de Automóvel e Ramos Elementares da SulAmérica

Eduard Folch, presidente da Allianz Brasil Transação foi concluída por R$ 3,2 bilhões. Com ela, a subsidiária brasileira sobe no ranking do mercado e passa...

Bradesco e OLX assinam parceria para financiamento de imóveis 100% digital

Sistemas dos dois parceiros foram integrados via APIs, propiciando maior segurança de dados e facilidade no envio de documentos, tornando mais ágil a contratação...

Programa do CPQD busca novos parceiros entre as startups

O Match Connect CPQD, série de encontros virtuais, será realizada nos dias 22 e 23 de julho As parcerias com startups são uma das estratégias...

Lello renegocia R$ 12 milhões de aluguéis na pandemia

Empresa implantou central de negociações para auxiliar proprietários e inquilinos, e criou diversas soluções para viabilizar os negócios  durante a crise A Lello bateu a marca de...

TIM e C6 Bank anunciam nova oferta conjunta

Clientes TIM Controle que abrirem gratuitamente uma conta no banco digital     podem ganhar bônus de dados, cartão de crédito sem anuidade e taxas diferenciadas...

Estudo do BC mostra expansão do cooperativismo de crédito

O setor conta com mais de 10 milhões de associados na carteira, dos quais a maioria é de pessoas físicas O cooperativismo de crédito ganhou...

Colab pretende ampliar operação após aporte de três fundos

Os planos da startup são de expandir a carteira de serviços e o número de colaboradores O Colab pretende ampliar o escopo de negócios com...
- Publicidade -